MUNDO

OMS faz alerta quanto à transmissão e a letalidade do coronavírus no Brasil

MUNDO 12/03/2021/ 18:53:33
OMS faz alerta quanto à transmissão e a letalidade do coronavírus no Brasil

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, voltou a demonstrar nesta sexta-feira (12) preocupação com a grave situação da pandemia de Covid-19 no Brasil. O dirigente afirmou estar decepcionado com o desempenho brasileiro na gestão da pandemia, uma vez que o sistema de saúde nacional, o nosso Sistema Único de Saúde (SUS), é considerado modelo em todo o mundo. As informações são do portal G1.

 

"A situação é muito preocupante, estamos muito preocupados. Não apenas pelo número de casos, mas pelo aumento no número de mortes", disse Tedros, ressaltando que as mortes diárias estão ultrapassando a marca de 2 mil óbitos..

 

"Eu esperava que o Brasil pudesse ter um melhor desempenho em epidemias por causa do seu forte sistema de vigilância em saúde", afirmou o diretor-geral da OMS.

 

Tedros destacou que a população deve receber "mensagem claras das autoridades de saúde" sobre a situação do país para saber como agir. "Começando pelo governo, todos os interlocutores devem agir de forma séria", disse. Se isso não ocorrer, o diretor-geral da OMS afirmou que as mortes deverão aumentar.

 

"O sistema de saúde está com uma grande pressão no momento. Muitos países da América Latina estão caminhando na direção certa, mas não é o caso do Brasil", disse o diretor de emergências, Michael Ryan.

 

Ryan demonstrou principal preocupação com a variante P.1 – identificada pela primeira vez em Manaus e que já se espalhou para vários estados brasileiros e ao menos outros 24 países. Ele destacou que a variante se tornou dominante no Brasil e tem piorado a situação.

 

"Há uma grande preocupação com a letalidade e transmissão do vírus [da variante]", alertou o diretor. "O que acontece no Brasil tem consequências mundiais", concluiu.

 

A diretora técnica da OMS, Maria van Kerkhov, reforçou que é muito importante que haja uma rede de sequenciamento de genomas intensa no Brasil e na América do Sul e lembrou que, até o momento, as medidas mais eficazes para conter a variante P.1 têm sido as medidas coletivas e individuais de saúde.

 

"O que sabemos da variante P.1 é que máscaras, lavagem das mãos, medidas de controle e prevenção contra o coronavírus funcionam", lembrou a diretora, afirmando que os países que adotaram as medidas de maneira séria conseguiram conter os

Outras Notícias